Últimos posts

7 de dezembro de 2015

CCXP 2015 - Tudo o que rolou no polêmico auditório Cinemark

    Não iria escrever sobre isso, mas senti necessidade após os inúmeros comentários posteriores ao auditório Cinemark e tudo o que aconteceu por lá no dia 04/12 (sexta-feira) - mais especificadamente no painel da Netflix com David Tennant e Krysten Ritter.
 
    Tô indo rápido demais? Ficou perdida? Vamos lá: o auditório Cinemark é o principal auditório da Comic Con Experience 2015. Com capacidade de acomodar 2,5 mil pessoas, a Cinemark reproduziu uma sala de cinema com lanchonete e carrinhos de pipoca e doces (que custavam os olhos da cara) para que os visitantes não precisassem escolher entre morrer de fome e sair do painel. Mas enfim: como auditório principal, contava com as melhores atrações e era o foco dos fãs de Doctor Who, Jessica Jones, Frank Miller, Jim Lee e Sense8. Muitas e muitos fãs madrugaram do lado de fora do Expo São Paulo para conseguir estar lá. 

    Por estarmos (eu e o fotógrafo David) credenciados como Imprensa, obtivemos uma fila diferenciada. Isso não nos possibilitou entrar primeiro que os visitantes que estavam do outro lado da grade ao nosso lado, mas nos poupou o sofrimento que os fãs passaram. O portão do evento abriu, corremos feito loucos e chegamos na fila - entre os dez primeiros. Minutos depois já podíamos ver uma fila quilométrica atrás de nós. 

    Entramos e nos acomodamos. Um ótimo lugar. O primeiro painel foi o de John Rhys-Davies e ele estava muito empolgado e feliz. Respondeu as perguntas do entrevistador com muita empolgação, falando sobre sua carreira e O Senhor dos Anéis e O Hobbit. John disse entender o fanatismo dos brasileiros e citou sua experiência pessoal com o time de Rugby do qual é fã. O ponto alto do painel foi quando o ator levantou-se para ir responder as perguntas da platéia de perto. Passeou por entre as poltronas e suas respostas eram sempre muito detalhadas e com piadinhas.  

    O segundo painel foi o da Universal Pictures, que trouxe dois convidados representantes para falar sobre o filme Warcraft após o trailer. Houve uma explicação das informações básicas sobre a história, como a diferença entre horda e aliança e só isso mesmo. Em seguida assistimos ao trailer do filme de terror A Bruxa.

    Em seguida Gerard Way (ex-vocalista do My Chemical Romance) e Fábio Moon conversaram sobre o Umbrella Academy, um HQ de ambos. A conversa foi realmente interessante. As perguntas foram todas para Gerard (avá) e uma fã do músico inclusive iniciou sua pergunta da seguinte forma: "Olá Gerard e caraquenãoseionome" - referindo-se ao Fábio. Apenas uma das perguntas foram direcionadas aos dois artistas.

    Depois, Rickey Purdin, da Marvel Comics surgiu para comentar as novidades do ano que vem - que não são tão novidades assim, acompanhado de quadrinistas.

    A FOX surge depois, com algumas novidades e um dos painéis mais legais e divertidos do dia. Steve Martino e Carlos Saldanha falaram um pouco sobre o filme do Peanuts e nos mostraram o projeto de criação do personagem para o filme. Steve explicou como os personagens foram criados, e nos mostrou como cada traço foi escolhido, misturando três versões dos personagens de cada época. Assistimos ao trailer e ao curta do Peanuts e do Scratch - esquilo da Era do Gelo. Aí assistimos um recadinho especial do ator Jack Black, chamaram o ator Lucio Mauro Filho para falar sobre ser a voz do Panda aqui no Brasil e em seguida nos mostraram uma cena exclusiva e o trailer de Fung Fu Panda 3.  Também no painel da FOX, assistimos ao trailer do filme O Regresso, com Leonardo diCaprio. O trailer foi realmente bacana e todos riram com o #vaileo, hashtag criada pelo Borgo para que dessa vez o ator ganhasse o Oscar.

    Um dos momentos mais esperados por mim estava finalmente para acontecer. E então surge Frank Miller! Ainda com um pouco de dificuldade para falar e ouvir, Frank respondeu as perguntas do entrevistador, muitas vezes com respostas bem objetivas, como apenas "não". Mostrou-se sem interesse nenhum em assistir "Demolidor" do Netflix, assim como disse não reconhecer a personagem Elektra do seriado como a Elektra de quem é pai. O momento mais marcante e emocionante do painel foi quando um fã aos prantos pediu que autografasse um de seus HQs e Miller levantou-se e foi até a grade atender o rapaz. Confesso que chorei, haha.

     Seguindo a onda dos painéis mais esperados, aparece o Jim Lee. Super empolgado, a entrevista fluiu super bem e as respostas foram empolgantes. Jim respondeu as perguntas dos fãs e antes que o painel terminasse, mostrou o desenho que fez a caminho do evento e que ele seria entregue a um fã. Para não dar briga, disse que o desenho seria entregue a pessoa que levantasse o RG primeiro, provando ser o seu aniversário.

    O próximo painel seria o tão aguardado Netflix. Os fãs já estavam elétricos e começaram a circular pelo auditório. Muitas pessoas de pé, muitas pessoas com câmeras lá na frente. Eis que surge Érico Borgo para mandar que todos voltassem aos seus lugares. Alguns fãs ao meu lado estavam reclamando da posição do Borgo e outros concordavam.

    Finalmente o painel começou. Assistimos um pequeno agradecimento do elenco de Marco Polo, um especial sobre Cem Olhos, uma cena de Demolidor e o trailer de O Tigre e o Dragão. Em seguida, Krysten e David entraram e a público foi ao delírio. A atriz estava maravilhada e ambos os atores mostraram-se surpresos com a recepção.

    Borgo fez as perguntas, falando inclusive sobre whovians. Ao abrir para perguntas, muitas pessoas levantaram desesperadas de seus lugares para seguir o padrão de perguntas estabelecido pelo evento: que era levantar e ir até o canto da grade e pegar o microfone. Confesso que fiquei muito assustada com o desespero. Sem avisar que o sistema de perguntas havia mudado, Borgo pediu que todos voltassem aos seus lugares e informou que os atores escolheriam quem poderia perguntar.

    A primeira pergunta foi respondida. Na segunda, que era mais um pedido de dicas sobre a carreira de atriz, Ritter respondeu primeiro e Tennant se preparou para responder... quando pá: Borgo anuncia que o painel havia acabado. Assim, sem mais nem menos, cortando a fala de Tennant. Os convidados ficaram confusos e os fãs furiosos. Uma menina que estava sentada na minha frente levantou furiosa e foi embora. Estava mais do que claro que aquilo não havia sido uma decisão de Borgo - e posteriormente foi esclarecido por Forlani em uma live que foi decisão da própria Netflix cancelar o painel - mas os fãs estavam e continuam caindo matando na organização do evento. A assessoria da Netflix deve ter se preocupado com o comportamento do público e com a segurança dos atores.

E essa foi a cara do Tennant para o ocorrido.

    Tennant e Ritter foram embora e então Borgo expressou total desapontamento com o comportamento dos fãs. Ameaçou cancelar a presença de Sense8 e aí todos sossegaram. Os atores apareceram e a entrevista começou. Eles estavam muito felizes e à vontade, principalmente Jamie. Ela ria, mexia nos cabelos e levantava as pernas, sempre descontraída. Jamie falou sobre a cena da orgia, fazendo com que os fãs rissem muito e o elenco respondeu perguntas sobre as primeiras impressões do roteiro e até mesmo sobre o que achavam de uma série que trazia representatividade, com personagens negros e transsexuais. Ao final, eles cantaram e gritaram "Brasil, eu te amo".

    No dia seguinte, para o painel do ator Misha Collins a organização parece ter aprendido a lição e distribuiu senhas para que as pessoas que estavam aguardando (e madrugaram) no Centro de Convenções entrassem no painel, evitando todo o transtorno de sexta-feira - e chateando muitos fãs que surgiram posteriormente. 

    E FIM. Digo e repito que valeu a pena todo o sufoco para entrar e permanecer no painel. Valeu a pena o cansaço, fome e ficar 10hrs sentada. Mas isso não significa que coisas não tenham me chateado por lá.

    Arrisco dizer que tenho uma ótica diferente comparada à das whovians por ter tido uma experiência anterior em painéis e por não visitar o evento apenas para ver o Tennant. Óbvio que como admiradora de seu personagem em Doctor Who e Jessica Jones estava ansiosa por um bom painel, mas fico muito mais feliz pelos anteriores e o posterior terem sido muito bons, assim como feliz simplesmente por ter visto o ator e a atriz de pertinho.
    Não estou dizendo que as whovians estão erradas por irem lá só pelo Tennant, muito pelo contrário, mas é errado ignorarem todo o trabalho da organização para trazer a atração e o pior: ignorar que o cancelamento veio da própria Netflix, culpabilizando Borgo (que era apenas o entrevistador).

Fotografia: Davi Araújo - fotógrafo do Heroínas Modernas 

Postar um comentário

(Os comentários são moderados antes de serem aceitos)

 
Copyright © 2014 Heroínas Modernas . Designed by Danielle Cristina/ and Danielle Cristina